Autoconfiança e o medo do que os outros vão pensar

Quantas vezes já deixaste de fazer alguma coisa, com medo do que as pessoas vão pensar? Como está a tua autoconfiança?

Esse medo pode ser paralisante e pode estar a impedir-te de conquistar os teus objetivos e até mesmo de teres objetivos. Não te sentires capaz de obter o que desejas e temeres o julgamento dos outros está a afastar-te da vida que queres verdadeiramente viver e não tem de ser assim.

Hoje vou partilhar contigo várias técnicas para teres mais autoconfiança, seja instantânea e efémera para situações urgentes, seja duradoura e estável.

Em que nível está a tua autoconfiança?

Vamos começar por perceber em que nível está a tua autoconfiança.

Para começar, pensa num objetivo que tenhas, ou se ainda não tens um objetivo concreto, pensa num sonho de algo que queres fazer. Agora responde a estas 3 questões numa escala de 1 a 10 em que 1 é um não absoluto e 10 é um sim absoluto:

  1. É possível alcançar esse objetivo ou sonho? Repara que nesta primeira pergunta eu ainda não estou a questionar se consegues mas sim se o teu objetivo é possível de ser alcançado, por ti ou por alguém. É possível?
  2. Agora sim, és capaz de alcançá-lo?
  3. E por fim, mereces alcançar esse objetivo ou sonho?

Depois verifica como foram as tuas respostas? Se foram de 5 para baixo, a tua autoconfiança está a interferir com a tua vida e mesmo abaixo de 7 ou 8, tens muito a ganhar se trabalhares na melhoria da autoconfiança.

Autoconfiança instantânea

A verdade é que existem truques rápidos para aumentares a tua autoconfiança instantaneamente antes de uma apresentação importante ou de algo que te deixe nervoso, como:

  • Repetires mentalmente ou, se possível, verbalmente: “Eu quero, eu posso e eu consigo” uns momentos antes. Mas não é repetir eu quero eu posso eu consigo… a morrer. É COM VONTADE! EU QUERO, EU POSSO E EU CONSIGO!!!
  • E fazeres a postura do Super Homem ou da Super Mulher, com o peito bem aberto e as mãos nas ancas.

Ambos induzem a libertação de hormonas no teu corpo que te vão dar uma bomba de confiança naquele momento.

Mas para trabalhares a tua confiança a longo prazo, precisas de mais do que isso.

Autoconfiança duradoura

De facto, a autoconfiança está relacionada com a autoestima e com o valor que atribuímos a nós mesmos. E às vezes, não somos capazes de amar-nos incondicionalmente. Ficamos agarrados às coisas que nos incomodam sobre nós mesmos e levamo-nos a acreditar que não somos bons o suficiente e dignos de amor e de sucesso o suficiente por causa disso.

O julgamento dos outros começa na nossa cabeça

Por isso, ficamos a morrer de medo que as outras pessoas também reparem nesses supostos defeitos e comentem e nos critiquem. Assim, tentamos esconder e parecer perfeitos e só mostramos o que fazemos quando estiver perfeito ou quando tiver mesmo de ser. Preferimos não fazer as coisas a fazer, e correr o risco de sermos criticados, ou fazemos uma coisa neutra e sem sal, de maneira a tentar agradar toda a gente, o que é quase pior do que não fazermos, porque não é algo verdadeiro, nem autêntico e depois não produz os resultados que queríamos e deixa-nos com ainda menos vontade de voltar a tentar. Identificas-te?

A primeira coisa que tens de te lembrar é que isso que tu sentes, não és só tu que sentes. A GRANDE maioria das pessoas sente o mesmo e passa pelo mesmo. E isso significa que a GRANDE maioria das pessoas sabe como é.

Vulnerabilidade é força ou fraqueza?

autoconfianca
Photo by Timothy Eberly on Unsplash

E isso leva-nos à vulnerabilidade. Para ti, ser vulnerável é um sinal de força ou de fraqueza? Muitas vezes as pessoas acham que mostrarem-se vulneráveis as faz parecer fracas e, por outro lado, quando outra pessoa mostra as suas vulnerabilidades, acham-na corajosa. Então, como é? Em ti é fraqueza e nos outros é coragem?

Afinal, o que é ser vulnerável? É aceitar que não somos perfeitos e viver com isso, não tentar esconder. Aceitar que errar faz parte do processo, que não temos de saber tudo, nem de ser bons a tudo e sabermos amar-nos assim mesmo, sem condições. 

Por isso, se fores praticando a vulnerabilidade, a tua autoconfiança vai aumentar também. Em cada decisão, procura ser autêntico e não uma versão enfeitada do que achas que os outros esperam de ti, nem uma cópia de outra pessoa.

Como lidar com as críticas?

Além disso, a forma como lidas com as críticas também influencia a autoconfiança. Começa por te lembrares que não podes controlar o que os outros pensam ou dizem de ti. Considera a possibilidade de que o que tu imaginas que os outros vão pensar ou dizer pode não ser verdade e estar só na tua cabeça.

Quando realmente receberes críticas, visualiza um escudo protetor à tua volta, como se fosse uma bolha que te envolve e que te distancia emocionalmente das críticas, para que possas analisá-las antes de deixares que te afetem. Vamos fazer o exercício?

Recebes uma crítica > a crítica pára na bolha antes de te afetar > vamos analisar

  • É uma crítica construtiva, podes evoluir com ela? Aceita e tenta incorporar e evoluir.
  • É uma crítica que já ouviste muitas outras vezes? Então pode valer a pena teres em conta e pensares se é importante para ti melhorares aquele aspeto. Vai-te ajudar a chegar onde queres? Aceita, tenta incorporar e evoluir.
  • É uma crítica só para chatear, não passa o escudo protetor. Bate nele e cai ao chão, desfeita.
  • É uma crítica de alguém que nunca fez o que estás a fazer? Não passa o escudo protetor. Bate nele e cai ao chão, desfeita.

Então, não permitas que pessoas que não têm a coragem de ser vulneráveis, de se expôr, de lutar pelo que querem, te impeçam de lutar pelo que tu queres!

Resumindo

Para aumentares a tua autoconfiança a longo prazo precisas de fazer 2 exercícios diariamente:

  • Praticares a vulnerabilidade e autenticidade.
  • Aprenderes a pôr um travão nas críticas, para te poderes distanciar e as poderes analisar antes de deixares que te afetem.